setembro 08, 2004

L.A. Assis Brasil


«Vieram na segunda classe, no mesmo navio que reconduzia para cá D. Pedro II depois de uma visita à Europa. Ela enxergara o Imperador tomando sol no convés mais alto. Abanou-lhe. Foi retribuída. Desde então o Monarca passara a ser apenas um homem como os outros.
– D. Pedro é um homem como os outros – ela um dia disse ao Historiador, provocando-lhe uma reação de espantada incredulidade. Ele nunca pensara nisso. O fascínio imperial estava muito acima dessas contingências humanas.
A primeira coisa do Brasil a chamar a atenção de Cecília foi a selva. Em Portugal a natureza fora domada havia séculos. Aqui, a selva, plena de vapores, crescia por tudo, recobrindo as montanhas do Rio de Janeiro e entranhando-se no caráter das pessoas. A selva possuía algo de misterioso, como um coração.» [Luiz Antônio de Assis Brasil, A Margem Imóvel do Rio, LP&M Editores, 2003.]
Luiz Antônio de Assis Brasil nasceu em Porto Alegre, onde vive, em 1954. É professor universitário e já escreveu um livro de ensaios sobre literatura dos Açores. Entre os seus livros contam-se O Homem Amoroso, Breviário das Terras do Brasil, O Pintor de Retratos (publicado em Portugal) e A Margem Imóvel do Rio, que foi finalista do Prémio Jabuti e é também do Portugal Telecom Brasil.

2 comentários:

Manuel Jorge Marmelo disse...

Posso testemunhá-lo sob juramento, se for preciso: o livro é muito bom.

F disse...

Obrigado, Jorge. O Manuel Jorge Marmelo (http://marmelo.blogspot.com) é um dos portugueses mais atentos à literatura brasileira. O livro do L.A.Assis Brasil é uma pequena maravilha, concordo plenamente. Aquela demanda pelo Francisco da Silva no Rio Grande do Sul é uma ideia genial.
Francisco